4 anos de Políticas Poéticas

quinta-feira, 1 de março de 2012


   Temos o prazer de compartilhar com todos que nos acompanham a ações desenvolvidas no mês de comemoração de 4 anos de trajeto do Coletivo O¹².

   Nossas estripulias criativas e peraltagens artísticas foi o presente que nos demos e partilhamos com a comunidade de Votorantim.

  Segue abaixo os video clips das nossas iniciativas:



  Ação Vitrines: 

 

  Ação Terminal: 



  Ação Meio Ambiente:




  E em breve o Coletivo O¹² apresentará seu novo projeto através do lançamento da obra audiovisual que está em seus últimos preparativos.

  Aguardem!

Comments

One response to “4 anos de Políticas Poéticas”
Post a Comment | Postar comentários (Atom)

Tobias Nunnes disse...

AÇÃO VITRINE: Performativa, simples e ao mesmo tempo circulada por uma semiologia intrigante. O equilíbrio dos livros, com o equilíbrio das letras que seguem interpretativamente autônomas aos olhos de quem as lê/vê/interpreta ou ingenua e curiosamente observa, sejam os leitores ávidos ou aqueles que sequer os leram uma única vez. Ressalta um forte sentimento de contato com o escrito, com o universo onírico, imaginativo, em fluxo crescente. Posso estar equivocado quanto à maneira de observar o movimento, a composição, o jogo. Mas a presença dos livros, ah! para um Bibliotecário, isso é fascinante. Letras performativas dançantes, (já viajando, rs) Expostas em vitrine como apelo não só caindo no lado do consumo, do "estar à venda". Que o vento carregue essas letras, que os movimentos carreguem esses corpos significativos.

PS: Thiago, alguns dos livros são seus, certo?

AÇÃO TERMINAL: O fluxo do cotidiano, a sincronia despercebida da rotina. A repetição inconsciente, a adaptação...
Local mais que adequado para "testar" movimento.

AÇÃO MEIO AMBIENTE: HUMANO, revitalizante e suave. Paisagem poética... a beleza de uma energia desconhecida. (Merece ser visitado, fiquei com vontade, para um dia quem sabe) ^^.

"Gosto da natureza, e em igual gosto sentir o gosto das sutilezas nascentes. Subo morros para ver o sol, e entre pedras e verdes construo o que em breve será a bucólica lembrança de um dia de esquecimentos e contato".


Com meu carinho e admiração!
Tobias Nunnes
T.

5 de março de 2012 21:15