a namorada

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Havia um muro alto entre nossas casas
Difícil de mandar recado para ela
Não havia e-mail
O pai era uma onça
A gente amarrava o bilhete numa pedra presa por um cordão
E pinchava a pedra no quintal da casa dela
Se a namorada respondesse pela mesma pedra
Era uma glória!
Mas por vezes o bilhete enganchava nos galhos da goiabeira
E então era agonia

No tempo do onça era assim.

Manuel de Barros

Comments

One response to “a namorada”
Post a Comment | Postar comentários (Atom)

o 12 disse...

Tristes são os lugares que insistem em permanecer no tempo da onça.



Thiago Alixandre

16 de junho de 2009 04:38